Piscinas biológicas: mergulhe na natureza - SAGIPER
SAGIPER
Menu

BLOG

Piscinas biológicas: mergulhe na natureza

Piscinas biológicas: mergulhe na natureza

As aves aquáticas comem as rãs, as rãs comem os insetos, os insetos comem os fungos. É assim que funciona a cadeia alimentar dos lagos e charcos e é assim que funciona o sistema de filtragem e renovação de água das piscinas biológicas.

Ao contrário das piscinas tradicionais que requerem elevados custos de construção e uma manutenção dispendiosa, as piscinas biológicas oferecem uma solução mais económica e sustentável para o meio ambiente. Além de dispensarem a utilização de produtos químicos para manter a qualidade da água, os materiais usados na sua construção são, muitas vezes, elementos naturais já existentes no local.
Visualmente semelhantes aos lagos naturais, as piscinas biológicas constituem um atrativo para a fauna e flora locais, fazendo delas um ponto privilegiado para a observação da natureza. Compostas por uma zona destinada a banhos e outra destinada à purificação da água através de processos biológicos, o seu conjunto resulta num ecossistema saudável, equilibrado e dinâmico, que convida a mergulhar nos seus encantos, sem receio de abrir os olhos por causa do cloro.

Naturalmente, a construção de uma piscina biológica implica sempre alguma tecnologia humana. A aplicação de uma lona isoladora em toda a área interior da piscina é essencial não só para impedir que a água escoe através do solo, mas também para preservar o aquecimento natural da água, pelo sol. Já para o sistema de circulação de água, a utilização de painéis solares é sem dúvida a melhor solução para quem quer poupar o ambiente e na conta da eletricidade.
Para garantir maior segurança no acesso à piscina, o recurso a pavimentos estilo deck são ainda uma opção a ter em conta. Em tudo semelhante à madeira natural, este tipo de pavimento destaca-se pela sua durabilidade e pela forma harmoniosa e discreta como se integra nos espaços naturais, conservado a sua beleza primordial.

Seja pela diversão que proporcionam ou pela tranquilidade que transmitem, o facto é que as piscinas biológicas não param de conquistar adeptos em todo o mundo. Para melhor compreender porquê e, quem sabe, servir-lhe de inspiração, mostramos-lhe alguns dos melhores exemplos.
Algumas famílias estão a optar por construir piscinas naturais, com elementos da Natureza e que parecem pequenos lagos. O processo baseia-se em cavar um buraco que vai ser a área real da piscina, com cerca de 1,70 metros, isolar com lona de criar paredes com a ajuda de sacos de areia.
Além da zona de piscina, à volta, de de forma natural, nascem as margens de forma natural, com toda a fauna e flora típica dos charcos. Isto cria um ecossistema totalmente sustentável, onde o ciclo da Natureza se encarrega de manter a piscina.

As plantas e algas que depois vão crescer oxigenam a água e os animais também contribuem para manter a piscina equilibrada: aqui entra em cena a cadeia alimentar. Ou seja, todos os elementos naturais se conjugam para criar um habitat onde pessoas e Natureza estão em harmonia.
Em termos de elementos criados pelo Homem, digamos assim, há apenas um isolamento da zona do tanque para ajudar a preservar o aquecimento da água pelo Sol, filtro silencioso feito de forma artesanal e um sistema de circulação de água alimentado por um conjunto de painéis solares.
O criador desta piscina, David Pagan, que pode ver no vídeo, disse que o custo de fazer uma obra destas é «uma fracção» do que se teria de gastar para ter uma piscina convencional, como todo o sistema de renovação de água, sistema de bombagem e manutenção.

Share